Notícias

Vejam as últimas notícias da ENE

HomeNotícias

Messi promete: "Depois disso, a seleção vai ser outra, vai crescer"

(Seleção Argentina comemora a classificação; Foto: Reprodução/Globo) 

Sem dar entrevistas há quase um ano, desde novembro de 2016, os jogadores da seleção argentina romperam o silêncio depois de garantirem a classificação para a Copa do Mundo de 2018 com a vitória de virada por 3 a 1 sobre o Equador, na noite desta terça-feira, em Quito. Depois de desabafarem no vestiário, cantando música ofensiva a jornalistas registrada em vídeo, saíram na zona mista do estádio e até Messi soltou a língua. Autor dos três gols, o herói da noite sinalizou que o grupo sai fortalecido. 

- Depois disso, a seleção vai ser outra, vai crescer. Combatemos, sofremos e não podíamos estar fora do Mundial. Esse grupo merecia estar no Mundial. É importante que todos nos unamos, assim a seleção vai bem. Se todos dermos as mãos, é muito mais fácil. Hoje foi um dia importante para nós - disse Messi, em declarações reproduzidas pela conta oficial de Twitter da seleção argentina. 

Sobre a partida, o camisa 10 se disse aliviado pela Argentina ter conseguido reagir pouco depois de o Equador abrir o placar logo no minuto inicial. Ser o herói da noite foi importante, mas o discurso que ficou foi o de união entre torcida e jogadores.  

- Agradeço à torcida por todo o apoio, em especial nessa rodada dupla das eliminatórias. Cada vez que fui para a seleção, tentei dar o melhor, tanto para mim como para o grupo - disse Messi. 

Fonte: Globo Esporte

 
Compartilhar

Glória, aleluia! Na volta à antiga casa, Gabriel Jesus vira artilheiro e é ovacionado

(Gabriel Jesus comemorando o segundo gol do Brasil; Foto: Marcos Ribolli) 

Alô, mãe! Quando Gabriel Jesus ligar para dona Vera, ele terá tanta coisa para contar sobre a noite desta terça-feira... 

Melhores momentos de Brasil 3 x 0 Chile pelas Eliminatórias da Copa do Mundo 2018 

Neymar está acostumado a ser o centro das atenções por onde a Seleção passa, mas desta vez foi diferente. A noite era do camisa 9. De volta à arena do Palmeiras, onde surgiu para o futebol mundial, o atacante marcou duas vezes na vitória do Brasil sobre o Chile por 3 a 0, foi ovacionado pela torcida e ainda se tornou o artilheiro da equipe nas eliminatórias, com sete gols. 

Antes mesmo de a bola rolar já dava para perceber quem seria o protagonista da noite. Jesus foi o mais aplaudido quando teve o nome anunciado no telão do estádio. 

O jogo começou difícil para o jogador do Manchester City. Caçado pela marcação chilena e pouco acionado, ele teve uma chance em cabeçada no primeiro tempo, mas pouco produziu, assim como toda a equipe. 

As coisas começaram a mudar com o gol de Paulinho, que abriu o placar aos 9 do segundo tempo e abriu a porteira. O Brasil cresceu, a torcida se empolgou e Neymar percebeu que era hora de sair dos holofotes e consagrar o amigo. Cara a cara com o goleiro Bravo, o camisa 10 preferiu servir Jesus em vez de chutar. Com o gol escancarado, ele apenas empurrou para as redes e ainda teve a preocupação de olhar para o auxiliar antes de sair fazendo a sua comemoração típica. 

"Glória, glória, aleluia, é Gabriel Jesus", entoou a arena do Palmeiras, que não testemunhava um gol do atacante desde o empate entre Palmeira e Flamengo, em 14 de setembro de 2016. 

- Esse jogo representa muita felicidade. Não só do lado pessoal, mas pelo Brasil, pelo time. Por toda campanha que fez, por tudo que passou - vibrou Jesus. 

A festa estava completa. Ou melhor, quase. No último minuto, o goleiro chileno foi para a área brasileira tentar marcar em cobrança de escanteio. A Seleção recuperou a bola e quem estava lá prontinho para aproveitar o contra-ataque? Ele mesmo. Aproveitando lançamento de Willian, o camisa 9 viu o gol escancarado e, como canta Jorge Ben Jor em "Fio Maravilha", só não entrou com bola e tudo porque teve humildade em gol. Mais uma bola na rede, mais uma "ligação". Dona Vanda e o Brasil não param de se orgulhar de Gabriel Jesus.

Fonte: Globo Esporte

Compartilhar

Corinthians recusa proposta de R$ 40 milhões por Arana, diz jornal

(Arana pode se transferir ao futebol europeu ao fim da temporada; Foto: Daniel Augusto Jr. /Corinthians)

Um dos grandes destaques do Corinthians nesta temporada, o lateral esquerdo Guilherme Arana é um dos mais cotados do elenco a deixar o clube com o fim da campanha no Campeonato Brasileiro, cujo título está encaminhado ao alvinegro. Segundo o Mundo Deportivo, o Atlético de Madrid teria se disposto a desembolsar 11 milhões de euros (cerca de R$ 40 milhões) pelo jogador, proposta que já teria sido recusada pelo time paulista.

Para contar com o lateral, os colchoneros precisam aumentar a quantia porposta, já que o Timão não pretende liberá-lo por menos de 15 milhões de euros (R$ 55 milhões). De acordo com o jornal espanhol, outros clubes europeus possuem interesse na joia de 20 anos, como Sevilla e Inter de Milão.

Arana compõe o elenco principal do Corinthians desde 2014, quando Mano Menezes era o técnico do alvinegro. Ele se tornou titular absoluto apenas neste ano, já com Fabio Carille no comando. São 79 jogos disputados e quatro gols marcados pelo jovem com o uniforme corintiano. É o terceiro jogador que mais dá passes no Campeonato Brasileiro, com média de 58 por jogo.

Fonte: Gazeta Esportiva

Compartilhar

Como manter o ritmo forte na corrida nos dias mais quentes? Treinador responde

(Alternar corrida e caminhada no longão é uma boa tática, diz treinador; Foto: IStock) 

Os dias mais frios estão ficando para trás e gradualmente as temperaturas médias vão aumentar nas cidades brasileiras. E por que isso é importante para quem corre? É interessante que você ajuste as expectativas e preste atenção na sua sensação de esforço, entenda que você será cada vez mais lento à medida que a temperatura aumenta. 

Seu organismo demanda mais energia para fazer o mesmo treino, simples assim. Só para se ter uma ideia, em um dia quente e úmido, seu organismo usa aproximadamente 70% de toda a energia gasta no treino apenas para não deixar o seu corpo superaquecer. Isso mesmo, apenas 30% da energia é utilizada no trabalho mecânico de te levar da linha de largada a linha de chegada em uma corrida, por exemplo. 

É comum que nesses primeiros dias mais quentes o corpo sofra um pouco mais do que daqui a algumas semanas. Por isso, entenda essa dificuldade inicial como parte de um processo de adaptação. Não estranhe se aquele seu ritmo de sempre não saiu em um determinado treino ou prova. Tenha a humildade de reduzir um pouco a sensação de esforço que as coisas vão se encaixar. 

 

Alternar 14 minutos de corrida com 1 minuto de caminhada no seu longão ou aumentar o descanso dos seus treinos intervalados são estratégias eficientes para esse momento de transição.

 

 

 

 

E para aqueles que gostam de competições, a estratégia de prova tem que levar em conta a temperatura na hora da largada. A gente estava correndo no inverno há pouco, se pintar um sol de rachar na próxima prova de 10km, por exemplo, e o seu objetivo é manter um ritmo de 5’/km, experimente começar 15 segundos mais lento nos primeiros dois ou três quilômetros e acredite que essa economia vai valer muito. 

Se depois disso seu corpo responder bem e der para acelerar um pouco, siga em frente! Mas pode ser que, por causa do calor, você tenha que diminuir ainda mais um pouco, e faça esses ajustes o quanto antes para não acabar a prova quebrado e vagando. 

 

*As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Globoesporte.com / EuAtleta.com.

 
É educador físico formado pela Estácio de Sá, treinador de corrida e triatlo desde 2006 e praticante há quase 20 anos. Diretor técnico da G-LUZ Top Team, vive atento a tudo que se refere à fisiologia do exercício. Também fala com conhecimento empírico de quem está sempre frequentando as competições (Foto: EuAtleta)É educador físico formado pela Estácio de Sá, treinador de corrida e triatlo desde 2006 e praticante há quase 20 anos. Diretor técnico da G-LUZ Top Team, vive atento a tudo que se refere à fisiologia do exercício. Também fala com conhecimento empírico de quem está sempre frequentando as competições (Foto: EuAtleta)

É educador físico formado pela Estácio de Sá, treinador de corrida e triatlo desde 2006 e praticante há quase 20 anos. Diretor técnico da G-LUZ Top Team, vive atento a tudo que se refere à fisiologia do exercício. Também fala com conhecimento empírico de quem está sempre frequentando as competições (Foto: EuAtleta)

Fonte: Globo Esporte

Compartilhar

Na altitude, onde nunca venceu, Messi faz o jogo da sua vida

(Messi durante o jogo da Argentina contra a Bolívia em La Paz pelas eliminatórias em 2013; Getty Images)

Soa redundante dizer que a Argentina "só depende de si" para ao menos ir à repescagem em busca de uma vaga na Copa do Mundo de 2018 na Rússia. Uma vitória diante do já eliminado Equador, nesta terça-feira, é o que basta para os albicelestes seguirem vivos.

Há muito mais em jogo, porém, no Estádio Olímpico Atahualpa em Quito.

Primeiro porque com Jorge Sampaoli no comando os argentinos não ganharam - três empates, inclusive dois em casa contra a fraca Venezuela e o rival direto Peru.

A segunda razão tem a ver com Lionel Messi.

O principal nome do futebol argentino (na história?) nunca venceu jogando na altitude. Empate ou derrota argentina, porém, pode significar algo muito mais frustrante para os fãs do futebol: a despedida do camisa 10 da seleção.

Messi já esteve às voltas com a aposentadoria da Argentina após a final da Copa América Centenário em 2016, quando errou uma cobrança de pênalti na decisão e amargou novamente o vice-campeonato para o Chile, como no ano anterior.

Ele anunciou que não jogaria mais com a camisa albiceleste, mas voltou atrás. A pecha de perdedor do atacante do Barcelona na seleção, no entanto, já vinha desde a final da Copa do Mundo de 2014 com a derrota na prorrogação para a Alemanha no Maracanã.

Sem título relevante no currículo pela Argentina, Messi, aos 30 anos, terá o jogo mais importante da sua vida junto aos compatriotas e com um tabu a ser quebrado.

Em cinco jogos disputados na altitude pelas eliminatórias sul-americanas, o craque tem uma derrota em Bogotá (onde anotou seu único gol em 2007), um empate e uma derrota em Quito (palco do duelo com o Equador) e um empate e uma derrota em La Paz (lá, sofreu a humilhante goleada para a Bolívia por 6 a 1 em 2009 e vomitou em campo no duelo quatro anos depois).

A única vitória argentina na capital equatoriana aconteceu em 2001, nas eliminatórias para o Mundial de Coreia do Sul e Japão, 2 a 0 com gols de Verón e Crespo.

O destino da seleção argentina e o futuro de Lionel Messi estarão em jogo hoje.

Fonte: ESPN

Compartilhar

Nadal atropela Kyrgios e conquista seu sexto troféu na temporada

(Rafael Nadal conquistou seu 75º título na carreira; Foto: Nicolas Asfouri/AFP)

Número um do mundo, Rafael Nadal confirmou seu favoritismo e conquistou o titulo do ATP 500 de Pequim, neste domingo. Na final, o espanhol enfrentou Nick Kyrgios e dominou a partida do início ao fim, fechando com parciais de 6/2 e 6/1, em 93 minutos. Esta é a segunda vez que Nadal vence a competição, sendo que a primeira foi há 12 anos atrás. Este foi também seu sexto troféu na temporada e o 75º da carreira em 110 finais disputadas.

Nadal fez uma de suas melhores exibições em quadra dura dos últimos anos. No quinto confronto entre os tenistas, com duas vitórias para cada, o espanhol levou a melhor. Apesar de um inicio equilibrado, o líder do ranking foi aos poucos tirando a confiança do jovem adversário, até que conseguiu a quebra de saque no quinto game. A perda do serviço mexeu com o australiano, que passou a reclamar, foi penalizado em um ponto e perdeu o primeiro set com duas duplas faltas.

No começo do segundo set, Nadal perdeu um pouco o ritmo e chegou a ter dois break-points logo no primeiro game, mas conseguiu se salvar. Recuperado de um susto inicial, o espanhol logo tomou conta da partida e chegou a mais uma quebra, abrindo 3 a 0. A partir daí, administrou o jogo para chegar à conquista do título.

Com o resultado, Nadal soma mais 500 pontos e segue firme com objetivo de terminar o ano na primeira posição do ranking. Além disso, o espanhol aumenta sua vantagem em relação ao vice-líder Roger Federer, deixando o suíço 2370 pontos atrás. Kyrgios, por sua vez, perderá duas posições no ranking, caindo para a 21ª colocação. O próximo torneio disputado por ambos os tenistas será o Masters 1000 de Xangai, que começa nesta segunda-feira.

Fonte: Gazeta Esportiva

 

Compartilhar

DISTRITO FEDERAL

Telefones Secretaria:
(61) 3381 9928
(61) 3254 6643
(61) 3263 8588
(61) 3263 8581

Whatsapp:
(61) 99575 9393

 


Atendimento Comercial

LUCAS CAETANO
(61) 99227 3742

JOÃO GABRIEL
(61) 99240 6734

RIO DE JANEIRO

(21)  2109-6857
(21) 97190 3073

JOINVILLE

(47) 3227 44 41
(47) 9609 0827

Console de depuração do Joomla!

Erros

Sessão

Informação do perfil

Memória Utilizada

Consultas ao banco