Notícias

Vejam as últimas notícias da ENE

HomeNotícias

Cruzeiro controla o Sesc-RJ e larga com vitória em torneio na Argentina

(Leal, sorrindo ao fundo, marcou o último ponto do jogo (Foto: Reprodução Twitter Sada Cruzeiro) 

O entrosamento geral pesou, e o Cruzeiro abriu sua participação na Copa Ciudad de Bolívar, na Argentina, com vitória sobre o Sesc-RJ. Atual campeão mundial, o clube mineiro errou pouco e contou com a boa atuação de seus centrais para triunfar por 3 sets a 0, com parciais de 25/14, 25/23 e 25/22. Na reta final da preparação para a Superliga masculina, as duas equipes voltam à quadra neste domingo. O Cruzeiro encara o Ciudad Voley às 18h30, enquanto o Sesc-RJ enfrenta o Bolívar às 21h (horários de Brasília). O primeiro set foi um passeio do Cruzeiro. Na primeira parada técnica a equipe chegou a três pontos de vantagem em bloqueio de Isac. Logo depois o técnico Giovane Gávio parou o jogo, mas não evitou uma arrancada ainda mais expressiva. Numa pancada de Simon a margem chegou a nove pontos em 16/7. A diferença se manteria até o fim, quando Filipe fechou a parcial em 25/14. 

Simon apareceu bem no início do segundo set. Nesta etapa, porém, o Sesc-RJ errou menos e contou com ótimo aproveitamento do oposto Renan para deixar o placar parelho. Depois da segunda parada técnica, o time fluminense marcou quatro pontos em série, o último deles em bola de xeque de Thiago Barth, e virou o placar. Marcelo Mendez pediu tempo, e o Cruzeiro voltou ao jogo. Houve ainda duas trocas de liderança, mas o time celeste acordou a tempo de abrir 2 sets a 0. Coube a Leal, explorando o bloqueio, encerrar o set em 25/23. 

O embalo fez com que o Cruzeiro construísse uma vantagem confortável já no princípio do terceiro set (7/2). Bons ataques de João Rafael e Maurício Borges foram descontando a diferença pouco a pouco e dando fôlego ao Sesc. Logo depois da segunda parada técnica, Renan selou o empate em 18 pontos. 

Após pedido de tempo de Marcelo Mendez, Isac brilhou em bola rápida pelo meio e depois em bloqueio, abrindo novamente dois pontos de frente para o Cruzeiro. Foi a vez de Giovane parar a partida, mas desta vez não houve reação. Homem das bolas decisivas, Leal soltou a bomba e deu números finais ao jogo, com 25/22 no último set.

Fonte: Globo Esporte

Compartilhar

Palmeirenses elogiam Egídio e o parabenizam após volta por cima

(Foto: Cesar Greco/S.E. Palmeiras)

Egídio sabe o que é viver dias conturbados no Palmeiras. O lateral-esquerdo, que ficou marcado negativamente pela torcida nas eliminações recentes do Verdão na Copa do Brasil e Libertadores, anotou um golaço para dar ao Alviverde a vitória sobre o Fluminense, no domingo. Após o confronto, o camisa 6 recebeu os parabéns de Edu Dracena e do técnico Cuca.

“O Egídio é muito querido pelo grupo, um cara sensacional. Infelizmente aconteceu de ele errar o pênalti, mas isso poderia ter acontecido com qualquer um, então não podemos crucificá-lo, pelo contrário, ele tem total confiança do elenco e do treinador, por isso está jogando. Foi coroado com um belo chute, o gol da vitória. Se não fosse esse lance não teríamos ganho, então ele está de parabéns. Merecia esse gol por tudo que vem fazendo com a camisa do Palmeiras”, afirmou o zagueiro Edu Dracena.

Egídio viveu momento conturbado no Palmeiras. O lateral foi apontado como um dos maiores culpados pela eliminação alviverde contra o Cruzeiro, pelas quartas de final da Copa do Brasil, que causou o pedido de demissão de Cuca, e ainda perdeu o pênalti decisivo que deixou o Verdão fora da Libertadores, contra o Barcelona de Guaiaquil. Na sequência, Cuca optou por escalar Michel Bastos como titular em três partidas consecutivas, mas o camisa 6 retomou sua posição.

“O gol do Egídio foi muito bonito, uma batida de fora da área. Ele merece, por tudo que tem trabalhado. E foi importante, um gol que nos deu a vitória”, disse o técnico Cuca.

O lateral-esquerdo, porém, terá sua sequência como titular interrompida no próximo sábado. Junto com Edu Dracena, Egídio está suspenso do duelo contra o Santos, que ocorrerá às 16h (de Brasília), no Palestra Itália, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Fonte: Gazeta Esportiva

Compartilhar

Franca sofre em visita ao Mogi e perde a primeira no Paulista

(Em jogo equilibrado, líderes do estadual veem invencibilidade cair por terra; Foto: Divulgação)

O Franca conheceu sua primeira derrota no Campeonato Paulista de Basquete. Na noite deste domingo, o time do nordeste do estado de São Paulo visitou o rival local Mogi das Cruzes defendendo uma invencibilidade de 10 jogos na competição e acabou derrotado por 85 a 81.

A proximidade no placar final foi um reflexo de toda a partida. Nos quatro períodos, os rivais se mantiveram muito próximos e chegaram, inclusive, a trocar de situação. A equipe mandante, porém, deu um gás final para se distanciar dos adversários e garantir a vitória.

Com o resultado, os mogianos se mantiveram entre os quatro principais times da primeira fase, com sete triunfos em 11 confrontos. Já o Franca, apesar do amargo placar final desta noite, continua líder, com uma vitória de vantagem em relação ao segundo colocado Paulistano.

Pela próxima rodada do Paulistão, o Mogi volta para o Vale do Paraíba para receber o Bauru, no próximo sábado.

Os francanos só voltam às quadras no dia três de outubro, quando recebem o lanterna América.

Fonte: ESPN

Compartilhar

Federer derrota Kyrgios e garante vitória da Europa na Copa Laver

(Roger Federer disputando a Laver Cup; Foto Getty Images)

Após atuar junto com Rafael Nadal em um confronto de duplas na Copa Laver, o suíço Roger Federer venceu o australiano Nick Kyrgios, por 2 sets a 1, com parciais de 4/6, 7/6 (8-6) e 11-9, e garantiu a vitória do Time Europa em cima do Time Mundo, neste domingo, pela competição. 

O primeiro set entre os dois tenistas ficou marcado pelo equilíbrio. No quinto game, Kyrgios conseguiu quebrar o saque do número dois do mundo e adquiriu vantagem no confronto. 

No oitavo game, Federer teve três oportunidades de devolver a quebra, mas o australiano confirmou o serviço e, mais tarde, fechou o set em 6/4.

Na segunda parcial, o suíço pareceu determinado a se recuperar no confronto, adotando uma postura mais agressiva e quebrando o serviço de Kyrgios na quarta rodada. O número 20 do mundo devolveu a quebra logo em seguida, e no restante do set, forçou mais o saque, conseguindo a marca de oito aces.

Com a igualdade de 6/6 na parcial, o set foi para o tie-break. No desempate, Federer começou bem e logo quebrou o segundo serviço de Kyrgios. O australiano se recuperou e devolveu a quebra quando o suíço tinha o ponto do set. Entretanto, o maior vencedor de Grand Slams da história do tênis não se abalou e venceu o tie-break por 8-6, igualando o confronto.

Empatados, com um set para cada lado, os dois tenistas foram para a última parcial, no formato de super tie-break, em busca da vitória. Com muitas quebras de serviço de ambos os lados, o australiano chegou a ficar em grande vantagem, mas viu Federer se recuperar e quebrar o último saque de Kyrgios, fechando o set em 11-9, garantindo a vitória por 2 a 1 e selando o triunfo do Time Europa na Laver Cup.

Fonte: ESPN

Compartilhar

Barrios marca e Grêmio vai às das semifinais da Copa Libertadores

(Barrios, de cabeça, marcou o gol da vitória do Grêmio; Foto: Lucas Uebel/GFBPA)

Deu Grêmio no choque entre brasileiros das quartas de final da Copa Libertadores da América. Na Arena, o Tricolor venceu o Botafogo por 1 a 0. O único gol da partida foi marcado por Lucas Barrios. Como o primeiro duelo terminou empatado sem gols, o time gaúcho garantiu a classificação para as semifinais do torneio.

Os gremistas aproveitaram o feriado regional do dia 20 de setembro, no qual os gaúchos celebram o aniversário da Revolução Farroupilha, e fizeram festa durante todo o dia. Com os todos os ingressos vendidos para o duelo, mais 50 mil pessoas acompanharam o confronto na Arena. 

Uma hora antes de iniciar a partida, o técnico Renato Portaluppi confirmou a escalação e encerrou o mistério. Utilizando a braçadeira de capitão, o zagueiro Pedro Geromel começou como titular e o garoto Luan no banco de reservas. Ainda no vestiário, o meia-atacante fez testes para saber se teria condições de atuar. A Comissão Técnica achou melhor preservar o atleta, contudo, o camisa 7 gremista pediu para ficar à disposição e entrou como alternativa para o decorrer do jogo. Assim, o lateral direito Léo Moura foi mais uma vez improvisado na posição. 

No Botafogo, o técnico Jair Ventura confirmou a equipe com retornos. Na lateral esquerda, Víctor Luís, que não atuou no primeiro duelo, pois estava suspenso pelo terceiro cartão, retomou a posição e Gilson foi suplente. No meio campo, Rodrigo Lindoso voltou para o time. Com isso, o chileno Leonardo Valencia foi ao banco de reservas. 

Primeiro tempo
Como a primeira partida terminou empatada sem gols, os dois times buscavam bastante o ataque. A primeira oportunidade foi do Grêmio aos quatro minutos. O lateral esquerdo Bruno Cortez recebeu perto da área e concluiu com força. A bola passou com perigo próxima à trave de defesa do goleiro Gatito.

O Botafogo respondeu aos 8 minutos. Após cobrança de escanteio, iniciou um bate-rebate dentro da área gremista. No lance, Bruno Silva tentou de calcanhar e Marcelo Grohe espalmou. Na sobra, o zagueiro Igor Rabello concluiu, mas a bola desviou na zaga adversária e saiu pela linha de fundo. 

ATIVAR ALERTAS

Aos 13 minutos, o meia-atacante Fernandinho iniciou jogada individual arrancando pelo meio até chegar na entrada da área e chutar forte cruzado. Contudo, a bola saiu pela linha de fundo, sem perigos à meta. 

Em ataque do Botafogo, Lindoso sofreu falta na entrada da área após o zagueiro Pedro Geromel entrar no lance com o pé alto demais. Na cobrança, de dois toques, João Paulo acertou a barreira gremista. 

Em ótima oportunidade, o Grêmio acertou o travessão adversário. Bruno Cortez cobrou um lateral lançando para a área, o atacante Lucas Barrios deu um desvio na bola, que sobrou para Fernandinho encher o pé. A redonda explodiu no travessão, levando ainda mais a torcida presente. 

Após o lance, o Botafogo começou um abafa no Tricolor Gaúcho criando duas oportunidades. Aos 23 minutos, Kannemann errou o passe e Pimpão arrancou pela esquerda. O meia botafoguense entortou o zagueiro gremista, que caiu ao chão, e chutou forte no gol. Marcelo Grohe defendeu em dois tempos. Um minuto depois, Bruno Silva carregou pelo meio campo e arriscou uma bomba. A bola acertou a trave esquerda defendida pelo goleiro gremista. 

O Botafogo crescia na partida. Em cobrança de falta, aos 33 minutos, o lateral Víctor Luís acertou um foguete e Marcelo Grohe voou no canto para espalmar a bola e salvar o Grêmio mais uma vez. 

Com o desempenho do time abaixo do esperado, o técnico Renato mexeu na equipe ainda na primeira etapa. O treinador tirou o improvisado Léo Moura e colocou o meia-atacante Everton na posição. Com a troca, Fernandinho passou a jogar no lado direito e Everton na esquerda. 

Em linda jogada do Botafogo, Bruno Silva fez um passe de letra para Arnaldo, que carregou a bola pela esquerda e cruzou. A bola cruzou a área e João Paulo, que entrava pelo meio, acabou furando, desperdiçando outra chance da Estrela Solitária. 

A primeira etapa terminou com um Botafogo melhor que o Grêmio e a torcida carioca presente na Arena fazendo bastante barulho.

Segundo tempo
A segunda etapa começou movimentada. Em cobrança de falta, Fernandinho ergueu a bola na área e o volante Michel subiu cabeceando. A redonda ia entrando no ângulo, mas o goleiro Gatito Fernández fez bela defesa, dando um toquinho na redonda, que ainda resvalou no travessão antes de sair pela linha de fundo. 

O Grêmio ensaiava bons ataques, mas pecava nos passes erradas. O time demonstrava nervosismo e a equipe carioca tentava se aproveitar dos erros gremistas. 

Aos 12 minutos, em cobrança de falta para o Botafogo, a bola foi alçada na área gremista e o goleiro Marcelo Grohe se atrapalhou ao agarrar a redonda, mas conseguiu se recuperar antes da chegada do atacante Roger. 

Em boa troca de passes, o Grêmio inverteu a jogada da direita para esquerda, onde encontrou Bruno Cortez. O lateral arriscou uma conclusão e Gatito Fernández defendeu. 

A torcida do Grêmio já estava apreensiva quando o time gaúcho balançou as redes. Em cobrança de falta, Edílson colocou a bola na segunda trave, o atacante Lucas Barrios ganhou a dividida com o Matheus Fernandes e cabeceou para o fundo do gol. Explodia de alegria a torcida gaúcha. 

Aos 21 minutos, o Botafogo teve boa oportunidade de empatar com uma falta na entrada da área. João Paulo cobrou com uma perfeição, mas a bola desviou na barreira e passou por cima do travessão. 

O Grêmio parou no goleiro Gatito Fernández aos 27 minutos. Após cobrança de escanteio, o zagueiro Walter Kannemann deu uma casquinha na bola. A redonda desviou nas costas de Michel e Gatito espalmou. No rebote, a zaga do Botafogo afastou o perigo. 

Com a vantagem no placar, Renato apostou na marcação. O treinador tirou Lucas Barrios e colocou o volante Jailson. Do outro lado, Jair Ventura tirou o volante João Paulo e colocou o atacante Brenner, para o time buscar mais o ataque. 

Assim, começou uma pressão enorme do Botafogo até o final da partida. A equipe carioca apostava bastante no chuveirinho para a área. 

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 1 X 0 BOTAFOGO

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Data: 20 de setembro de 2017 (Quarta-feira)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Patricio Lostau (Argentina)
Assistentes: Juan Belatti (Argentina) e Ezequiel Brailovsky (Argentina)
Público: 50.517 (47.584 pagantes)
Renda: R$ 2.341.147,00
Cartões amarelos: GRÊMIO: Pedro Geromel, Walter Kannemann, Bruno Cortez, Edílson. BOTAFOGO: Igor Rabello, João Paulo, Rodrigo Lindoso, Roger

GOL:
GRÊMIO:
 Lucas Barrios, aos 17 minutos do segundo tempo

GRÊMIO: Marcelo Grohe, Edílson, Pedro Geromel, Walter Kannemann e Bruno Cortez; Arthur, Michel, Ramiro (Luan), Léo Moura (Everton) e Fernandinho; Lucas Barrios (Jailson)
Técnico: Renato Gaúcho

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Arnaldo, Joel Carli, Igor Rabello e Víctor Luís; Bruno Silva, Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes (Leonardo Valencia), João Paulo (Brenner) e Rodrigo Pimpão (Guilherme); Roger
Técnico: Jair Ventura

Fonte: Gazeta Esportiva

Compartilhar

Corinthians mantém sina de expulsões em eliminações internacionais

(Rodriguinho foi expulso com apenas três minutos em campo; Foto: Getty Images)

O Corinthians caiu na armadilha do Racing na Argentina e foi eliminado nas oitavas de final da Copa Sul-Americana. O empate em 0 a 0 garantiu a equipe argentina na próxima etapa da competição. Dentro de campo, o Corinthians pouco conseguiu incomodar o adversário. A tarefa ficou ainda mais difícil depois que Rodriguinho levou o cartão vermelho direto. Já no final do duelo, o atacante Jô também foi expulso pelo árbitro uruguaio Leodan González.

Depois da eliminação, os jogadores do Corinthians reclamaram muito e esbravejaram com o juiz. Não é muito comum ver os comandados de Fábio Carille demonstrando certo descontrole emocional com a arbitragem. 

“O juiz apitou para eles, o jogo todo ele dava falta para eles, o cara chutou a cara do Romero e não levou vermelho. Rodriguinho numa dividida foi expulso. O futebol brasileiro tem que se unir contra a Conmebol, não pode. Isso é uma vergonha. Uma vergonha. Somos pais de família levando tapa na cara”, disse Fágner depois do jogo.

“Entramos um pouquinho na pilha, sim. Trabalhar no banco ali era ruim para tentar acalmar, eu não conseguia passar as informações. A gente perdeu um pouco a cabeça, sim. É um aprendizado de jogo catimbado para esse grupo. Nem no Chile (contra a Universidad do Chile) foi assim, foi um jogo mais tranquilo. Temos que ter a cabeça tranquila e boa para esses momentos”, ponderou o técnico Fábio Carille.

Mas o fato é que as expulsões contribuíram mais uma vez para uma eliminação do Corinthians em um torneio internacional. Na história, é recorrente observar como o destempero e os cartões vermelhos têm prejudicado o time alvinegro em jogos decisivos de mata-mata em competições continentais.

Relembre abaixo alguns desses casos:

1995 – Quartas de final da Copa Conmebol

O Corinthians venceu em casa por 2 a 1 e foi para a Colômbia podendo empatar. Saiu na frente, mas não resistiu ao adversário. Levou a virada. Quando o placar já estava 3 a 1 (um gol classificaria o Corinthians) Souza foi expulso ao reclamar de Alvarez, que o havia agarrado e rasgado sua camisa. Foi o fim da reação.

2001 – Semifinal da Copa Mercosul

Ganhou do San Lorenzo-ARG no Pacaembu por 2 a 1, mas perdeu em Buenos Aires por 4 a 1. Quando o placar apontava 3 a 1 (ou seja, bastava um gol para o time alvinegro ter a vaga nas mãos), o volante Fabinho foi expulso. Isso ocorreu aos 33 minutos do segundo tempo, um lance depois de Luizão ter marcado para os corintianos. A reação esfriou e, para piorar, o atacante Romeo (um carrasco do time alvinegro) decretou o placar final ao fazer o quarto tento.

2003 - Oitavas de final da Copa Libertadores

O time corintiano levou a virada no Morumbi e em um roteiro conhecido. Abriu o placar contra o River Plate com Liedson, aos 9 do primeiro tempo. Aos 22, levou o empate, tento de Demichelis. Aos 45 o lance decisivo: o lateral esquerdo Roger foi expulso após ouvir do técnico Geninho "Pega, pega, pega" e atingir D'Alessandro com violência. Com um a menos, o Corinthians não segurou o rival e perdeu por 2 a 1 (mesmo resultado da Argentina). Nos minutos finais, Fabinho foi expulso após entrada forte em Coudet.

2006 - Oitavas de final da Copa Sul-Americana

Diante do Lanús, o Corinthians era favorito, mas não conseguiu comprovar isso. Na ida, ficou no 0 a 0, no Morumbi. Na volta, perdeu por 4 a 2. Não teve expulsão, mas teve uma briga entre o meia Carlos Alberto e o técnico Emerson Leão, que desestabilizou o time. Quando o placar estava 2 a 1 para os donos da casa, o treinador cobrou o jogador para que parasse de reclamar com a arbitragem. Não foi atendido e ainda foi xingado pelo comandado. Acabou tirando ele do time aos 31 do primeiro tempo. Quatro minutos depois o time argentino fez o terceiro gol e tomou o domínio definitivo do jogo.

2011 - Fase preliminar da Copa Libertadores

O Corinthians jogou com o modesto Tolima, da Colômbia. Empatou sem gols no Pacaembu e perdeu por 2 a 0 na casa do rival. Quando a equipe adversária fez 1 a 0, o técnico Tite tentou reagir e fez duas substituições. Uma delas foi a entrada de Ramirez. Mas ele foi expulso assim que entrou por dar uma cotovelada em Chará. Com um a menos, o time foi incapaz de reagir e ainda acabou levando o segundo gol. Eliminação vexatória.

2015 - Oitavas da Copa Libertadores

O time enfrentou o Guaraní, do Paraguai. Perdeu por 2 a 0 fora de casa e teve a chance de decidir a classificação na Arena em Itaquera. Inexplicavelmente perdeu por 1 a 0. O tento saiu no último minuto. Antes, a equipe perdeu o lateral esquerdo Fábio Santos, expulso, aos 7 da etapa final, por uma entrada mais forte em Santander, e o meia Jadson, aos 24, por dar um tapa no rosto de Benítez.

2016 - Oitavas da Copa Libertadores

Dessa vez encarou o tradicional Nacional, do Uruguai. O lateral direito Fágner foi expulso aos 46 do segundo tempo após atingir um rival com um pontapé. O detalhe é que o lance estava parado. O placar já estava 2 a 2 e a eliminação era quase certa, mas um gol daria a classificação ao Corinthians (na ida houve empate por 0 a 0).

2017 - Oitavas da Copa Sul-Americana

1 a 1 na Arena Corinthians e necessidade de empatar por dois ou mais gols ou vencer o Racing para avançar. O jogo estava 0 a 0 quando o meia Rodriguinho foi expulso, dois minutos depois de entrar em campo (substituindo Jadson), ao dar uma solada em González. No final, o atacante Jô também recebeu cartão vermelho ao fazer falta em Solari - ele já tinha cartão amarelo antes da jogada.

Fonte: ESPN

 

Compartilhar

DISTRITO FEDERAL

Telefones Secretaria:
(61) 3381 9928
(61) 3254 6643
(61) 3263 8588
(61) 3263 8581

Whatsapp:
(61) 99575 9393

 


Atendimento Comercial

LUCAS CAETANO
(61) 99227 3742

JOÃO GABRIEL
(61) 99240 6734

RIO DE JANEIRO

(21)  2109-6857
(21) 97190 3073

JOINVILLE

(47) 3227 44 41
(47) 9609 0827

Console de depuração do Joomla!

Erros

Sessão

Informação do perfil

Memória Utilizada

Consultas ao banco